Esposa de torcedor que invadiu campo com filha no colo no RS disse que ficou ‘apavorada’ ao ver cena na TV, segundo delegada

Polícia Civil investiga agressões, invasão de campo e eventuais crimes contra menina de 3 anos. Criança vai passar por avaliação física e psicológica. Caso ocorreu após jogo entre Internacional e Caxias em Porto Alegre.

A esposa do torcedor do Internacional que invadiu o campo do Estádio Beira-Rio com a filha no colo e agrediu um jogador do Caxias e um cinegrafista disse à polícia que ficou “apavorada” ao ver o episódio na televisão, durante a transmissão do jogo. Detalhes das duas investigações das quais o torcedor é alvo foram apresentados pela Polícia Civil nesta terça-feira (28) em Porto Alegre.

“Ela relatou que soube dos fatos no momento em que eles aconteceram, porque ela viu, ela estava assistindo ao jogo. Imediatamente ela ligou para o pai porque ela disse, nas palavras dela, que ela ficou ‘apavorada’ e, então, o pai não atendeu”, diz a delegada Elisa Souza.

O que se sabe sobre o caso até agora
A mãe da criança foi ouvida pela polícia na tarde de segunda-feira (27) na condição de testemunha. Ela não estava no estádio no dia do episódio.

A advogada do torcedor, Taiane Paixão, afirmou na segunda, que ele invadiu o campo “para proteger a filha” porque tinha “medo do que estava acontecendo na arquibancada”. Segundo a polícia, a mesma versão foi apresentada pelo investigado em depoimento.

“Ele relatou que não percebeu as consequências do ato dele de expor a vida e a saúde dessa menina a risco e relatou exatamente isso. Que ele ingressou no campo como uma forma de proteção e que desferiu chutes e socos a esmo contra essa pessoa que ele não sabia que era jogador do time rival”, afirma a delegada.

MP pede medida de proteção à criança
A Polícia Civil apura dois crimes em relação à criança: expor a vida ou a saúde de outro a perigo direto e iminente, conforme previsto pelo artigo 132 do Código Penal, e expor uma criança a vexame ou constrangimento, previsto no artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A menina irá passar por exames físicos e psicológicos. A polícia busca saber se ela sofreu algum trauma decorrente do caso.

 

Torcedor com criança no colo agride jogador do Caxias no Beira-Rio em Porto Alegre

O chefe de polícia do RS, delegado Fernando Sodré, diz que o torcedor não demonstrou arrependimento. Os investigadores citaram que a ação do torcedor implicou no risco de algum dos agredidos reagir por instinto e atingir a menina.

“Nenhum tipo de arrependimento. Ele estava lá, como ele disse, se defendendo e defendendo a filha. Mas, na verdade, não é nada disso. Foi uma irresponsabilidade terrível e injustificável. Por muito pouco, a menina não sofreu algo mais grave”, relata.

Os dois inquéritos, conforme a Polícia Civil, devem ser encerrados esta semana e, encaminhados ao Poder Judiciário e ao Ministério Público.

O torcedor tem 33 anos, é morador de Canoas, na Região Metropolitana, é casado e pai de uma única filha, a menina carregada por ele no colo. O homem é sócio do Internacional desde março deste ano e não faz parte de torcida organizada desde 2019. Com ensino médio completo, ele é autônomo e não tinha antecedentes policiais.

By Natasha Figueredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também