Economia Gestora criada por recém-saídos do Itaú levanta R$ 1,2...

Gestora criada por recém-saídos do Itaú levanta R$ 1,2 bi em 7 meses

-

- Advertisment -

Quando Bruno Carvalho e Marcello Siniscalchi, antigos colegas de banco Itaú, decidiram abrir a Asset 1, no início deste ano, não imaginavam o tamanho do desafio que teriam à frente. O primeiro fundo da gestora chegou ao mercado em abril deste ano, bem no auge da crise causada pela Covid-19, mas já está entre os melhores da categoria multimercados no acumulado dos últimos sete meses, com rentabilidade de 13,2%. O resultado tem chamado a atenção do investidor e o patrimônio líquido do fundo já ultrapassou 1,2 bilhão de reais. Embora a gestora seja recente no mercado nacional de investimentos, os nomes que colocaram o negócio em pé são veteranos do mercado. Além de Siniscalchi e Bruno, também estão na Asset 1 Marcelo Fatio, como diretor de operações, e Carlos Viana (ex-BC e ex-FED) como head de pesquisa — área que apoia com pesquisas proprietárias a tomada de decisão da gestão dos recursos.

O resultado se deve sobretudo à diversificação de estratégias adotadas. A área de renda fixa, liderada por Bruno Carvalho, manteve posições pessimistas, apostando sobretudo em Tesouro IPCA+ e colaborou de forma significativa com o percentual de rentabilidade obtido. O câmbio é outro ativo que ajudou de maneira importante para o resultado. “Criamos a gestora com o objetivo de ser uma butique de investimento de alta performance. Isso é o que fazemos”, disse Marcello Siniscalchi, CIO da Asset 1.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Ultimas Notícias

Além da Ilusão: Heloísa confessa crime de Joaquim para Violeta

Violeta (Malu Galli) verá sua vida virar completamente de cabeça para baixo em Além da Ilusão. Isso porque a...

Colesterol alto é fator de risco para doenças cardiovasculares

O presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes - Regional RJ (SBD-RJ), Daniel Kendler, lembra, no Dia Nacional...

“Bolsonaro é um criador de crises”, diz Maílson da Nóbrega

Exatamente. O desafio dos dois, mas é mais do Bolsonaro do que do Lula, é reduzir a...